Pesquisa mostra como Bolsonaro executou estratégia pela propagação da Covid-19

(Foto: ABR | Alex Pazuello/Semcom)

Pesquisa mostra a “existência de uma estratégia institucional de propagação do vírus” promovida pelo governo de Jair Bolsonaro. O estudo é um esforço conjunto do Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário (CEPEDISA) da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) e a Conectas Direitos Humanos, e foi obtido pelo jornal El País.

O estudo

Com dados coletados desde março de 2020, no início da pandemia do novo coronavírus no Brasil, o boletim “Direitos na Pandemia – Mapeamento e Análise das Normas Jurídicas de Resposta à Covid-19 no Brasil” afirmou que a “pesquisa revelou a existência de uma estratégia institucional de propagação do vírus, promovida pelo Governo brasileiro sob a liderança da Presidência da República”.

Linha do tempo dos atos do governo federal

Foi feito um mapa cronológico da atuação do governo federal durante os momentos da pandemia da Covid-19, mostrando que o governo teve um caráter negacionista diante da propagação e da gravidade do vírus, e buscou impedir medidas contra a contenção da doença, levando o país a ser um dos mais afetados pelo novo coronavírus – com mais de 8,6 milhões de casos e 200 mil mortes.

A linha do tempo revela uma seleção de atos do governo, como edição de normas por autoridades e órgãos federais e vetos presidenciais; atos de obstrução às respostas dos governos estaduais e municipais à pandemia; e propaganda contra a saúde pública, definida como “o discurso político que mobiliza argumentos econômicos, ideológicos e morais, além de notícias falsas e informações técnicas sem comprovação científica, com o propósito de desacreditar as autoridades sanitárias, enfraquecer a adesão popular a recomendações de saúde baseadas em evidências científicas, e promover o ativismo político contra as medidas de saúde pública necessárias para conter o avanço da Covid-19”.

 

Fonte: Brasil 247