PT Bahia discute novos desafios em primeira reunião com setoriais eleitos

Foto: Divulgação

O Partido dos Trabalhadores da Bahia realizou, nesta segunda-feira, 13, a primeira reunião com os secretários, secretárias e coordenadores que foram eleitos nos Encontros Setoriais deste ano e definiu os novos desafios da legenda para a Bahia continuar avançando, com a revolução democrática pelos governos do PT no estado, com a organização interna da legenda e a construção de um grande palanque para eleição de Lula e a reeleição do senador Jaques Wagner na Bahia. A reunião foi realizada de forma híbrida com participações presenciais, na sede do PT, e virtuais de dirigentes e membros da Executiva e do presidente do Diretório Estadual, Éden Valadares.

O presidente do PT Bahia parabenizou os dirigentes e falou sobre a importância da mobilização da militância e dos novos secretários para os desafios da organização interna, da atualização programática e da tática eleitoral, além da mobilização pelo impeachment de Jair Bolsonaro e pela campanha vacina no braço e comida no prato. “O PT tem que estar em movimento e estimular cada setorial a interiorizar ainda mais os setoriais, levando-os a mais municípios e colocá-los em movimento. Vamos reacender a militância, é possível sim reconstruir nosso país e aprofundar a verdadeira revolução democrática em nosso estado”.

Éden destacou ainda que a Bahia, desde a eleição de Wagner em 2006, experimenta a liberdade, a democracia, o respeito e o diálogo, desenvolvimento, inclusão social e que agora a tarefa é dialogar com a população sobre o que era a Bahia antes do PT, na era do Carlismo, o que é a Bahia agora e como o estado pode avançar ainda mais. “Precisamos falar de o quanto Wagner pôde pavimentar, Rui acelerar com a correria e quais são os novos saltos que nós vamos poder dar a partir de 2023. O PT está desafiado a ser acolhido pelo povo baiano, como sempre foi, e de responder o que gente ainda pode fazer pelo povo da Bahia, o que mais podemos produzir de soluções para melhoria da qualidade de vida do povo baiano. Nós fizemos muito e temos que ter muito orgulho do que a gente fez, mas podemos fazer ainda muito mais”.

Na reunião, a coordenadora dos Encontros Setoriais e secretária de Movimentos Populares, Luciene Santana, agradeceu aos novos secretários pela coragem, disposição e compromisso de todos. “Agradeço não só por terem colocado os seus nomes à disposição para construir os setoriais, as secretarias, mas por terem partilhado todo esse processo conosco. Foi um processo muito intenso para todos nós organizar os maiores Encontros Setoriais da história do PT de maneira virtual devido à pandemia, mas, mesmo em meio a esse momento difícil, todos tiveram um desempenho importante na mobilização, organização e construção da nossa política”.

Os novos secretários se comprometeram a intensificar a agenda de lutas do Partido para continuar dialogando não apenas internamente e com a militância, mas em abranger o alcance à população como um todo com suas respectivas lutas. Secretário da Juventude, Nivaldo Millet destacou a importância de aprofundar o diálogo com os jovens, principalmente das cidades do interior e com aqueles que não são do Partido. O secretário de Combate ao Racismo, Ademário Costa, falou da importância de fazer uma gestão de continuidade e contribuir com o programa de governo do partido e do senador Jaques Wagner com novas políticas públicas de combate ao racismo.

Secretário sindical, Jairo Batista destacou a importante tarefa de fazer a ligação entre partido, trabalhadores e toda a sociedade na construção de consensos e Jazian Mota, secretária de Mulheres, falou sobre os desafios para fortalecer a luta das mulheres e eleger mais mulheres deputadas estaduais e federais. Já Paulo Mota, setorial estadual de Esporte e Lazer, destacou como ponto principal eleger Lula e Wagner para oxigenar políticas públicas esporte e inclusão social, enquanto Leonardo Urpia, do setorial de Energia e Recursos Minerais Energia, tem como objetivo tentar levar o partido a construir alternativas a esse modelo de desmonte do nosso estado promovido por Bolsonaro no setor de energia.

Processo eleitoral – Também presente na reunião, a vice-presidenta do PT Bahia e coordenadora do Núcleo de Estudos de Políticas do PT (NEPP), Luciana Madelli, pediu empenho dos novos secretários nas discussões e construção do programa, dividido em cinco eixos de discussão de programas e as políticas públicas: desenvolvimento econômico e trabalho, desenvolvimento social, democracia e direitos, meio ambiente e segurança pública.

“Precisamos fazer atualização das discussões e preparar a próxima jornada que começa dia 13 de janeiro, quando se iniciam as etapas territoriais do NEPP, apresentando sistematização dessa política e começar a ouvir as mesorregiões em uma rodada presencial com um total de 11 encontros. Nossa ideia é reunir em cada um desses territórios os dirigentes partidários, vereadores e vereadoras, prefeitos, vices e deputados, reunir nossa turma na ponta para fazer uma organização real para preparação do PT na entrada do processo eleitoral”.

Ascom PT Bahia