Queimadas no Amazonas batem recorde em agosto

BRASIL

O estado do Amazonas teve 7.620 registros de focos de incêndio no mês de agosto, conforme números do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Os registros são a maior parte dos focos de incêndio em todo o ano no estado, que já somam um total de 10.234. Os números de agosto são os maiores da série histórica, iniciada em 1998, conforme publicou o portal G1.

Ao longo do primeiro semestre de 2020, o estado já havia registrado um aumento de 51,7% no número de incêndios em comparação com o ano anterior.

Os irmãos Rosalino de Oliveira e Miraceli de Oliveira tentam se proteger da fumaça gerada pelas queimadas na floresta Amazônica.
© REUTERS / UESLEI MARCELINO
Os irmãos Rosalino de Oliveira e Miraceli de Oliveira tentam se proteger da fumaça gerada pelas queimadas na floresta Amazônica.

O mês de agosto costuma ser o mais seco do ano e também é o que mais registra queimadas. Em 2019, no segundo pior registro de queimadas para agosto, foram registrados 6.668 focos de incêndio no Amazonas, 952 a menos do que neste ano. Os outros dois anos com mais queimadas registradas em agosto foram 2005, com 5.981, e 2010, com 5.261.

dados do INPE apontam ainda que os municípios de Apuí, Novo Aripuanã e Lábrea são os que registraram mais focos de incêndio. Apenas Apuí registrou 2.284 queimadas.

Os estados que mais concentram queimadas em 2020 são Amazonas, Pará e Mato Grosso, ainda segundo os dados do INPE.

Sputnik Brasil