Responsáveis pela morte de líder do Haiti teriam sido contratados para matar presidente da Bolívia

© REUTERS / Edgard Garrido

O governo boliviano informou que vários dos acusados do assassinato do presidente haitiano Jovenel Moïse haviam trabalhado anteriormente em uma tentativa de assassinato contra Luis Arce, quando ele venceu as eleições em outubro de 2020.

“É claro que na Bolívia houve uma tentativa de desestabilizar o país, através de um elaborado plano para não deixar que o nosso candidato e presidente, Luis Arce Catacora, assumisse o comando legitimado pelas urnas; na Bolívia houve uma tentativa de assassinato”, disse o ministro do governo, Eduardo del Castillo, em uma coletiva de imprensa.

Eduardo del Castillo denunciou que o governo boliviano planejou um golpe fatal contra Luis Arce, mas acabou falhando.

Castillo apontou Fernando López, ex-ministro da Defesa da Bolívia, como principal culpado interno, e entre o grupo estrangeiro que esteve na Bolívia para a execução do suposto plano de assassinato, culpou Germán Alejandro Rivera García, ex-capitão do Exército da Colômbia, detido em julho de 2021 no Haiti.

Fonte: Sputnik Brasil