Ricardo Augusto relança cinco primeiros discos pelo Selo Benzza Music

Foto: Ivonei Silva/ Divulgação

Cantor, compositor e guitarrista comemora 47 anos de carreira revisitando os cinco álbuns e se prepara para próximos lançamentos

Autor de canções conhecidas na voz de Luiz Melodia, Zizi Possi e Geraldo Azevedo.

Comemorando 47 anos de carreira, o compositor, guitarrista e cantor baiano, Ricardo Augusto relança seus cinco primeiros discos através do Selo Benzza Music. Parceiro constante de Luiz Melodia, com quem tocou durante anos e para quem compôs diversas canções, Ricardo Augusto também teve como intérpretes de suas composições outros grandes nomes da MPB como: Zizi Possi, Elza Maria, Zezé Motta, Sandra de Sá, Geraldo Azevedo, Guida Moira, Nova Banda Black Rio e Terezinha de Jesus. Sua obra registrada nos cinco cds resgata parte dessas canções juntamente com outras até então inéditas.

A discografia, que estará disponível nas plataformas digitais respectivamente nos dias 13, 20 e 27 de agosto e 03 e 10 de setembro, evidencia a trajetória marcante de Ricardo Augusto como músico e compositor na história da MPB. Em “Tocar Você” (2000), “Hey Menino” (2003), “Amores e Madrugadas” (2008), “Amor & Mar” (2017) e “Viagem” (2020) Ricardo interpreta canções suas que ficaram conhecidas na voz de outros artistas, além de contar com participações especiais de Luiz Melodia, Lazzo Matumbi, Guida Moira, Capinan, Serginho Trombone e Gileno Félix. “Trouxe minha versão e cantei cada música como as sentia”, afirma Ricardo.

Das parcerias com Melodia que regravou em seus álbuns, estão várias que ganharam destaque em trilhas de novelas e mini séries de TV, como: “Coração de um Homem Bom”, “Brinde”, “Mistério da Raça” e “Frágil Força”; e em trilhas de cinema, caso de “Do Amor que Tenho por Você” no filme “Abaixo a Gravidade” de Edgard Navarro.

O primeiro CD teve produção de Nestor Madrid e os quatro próximos foram produzidos pelo próprio Ricardo Augusto, que também fez os arranjos base e toca guitarras e violões, tendo em companhia músicos radicados em Salvador. Nos quatro primeiros a banda base contou com Luizinho Assis – Teclados e arranjos, Cesário Leonny – Baixo, Marcelo Brasil – Bateria, Rowney Scott – arranjos de Sopros. Já “Viagem” de 2020, contou com Marcelo Galter – Piano e Arranjos Sopros, LdsonGalter – Baixo Acústico e Arranjo Sopros, Victor Brasil – Baterias,  e Rowney Scott – arranjos de Sopros.

Produtor musical à frente do Selo Benzza Music, Paulo Mutti ressalta sua admiração ao trabalho do artista que acompanha desde suas primeiras parcerias com Melodia. “Trabalhar a obra de Ricardo com o meu selo Benzza Music é uma forma de ampliar sua voz, ajudar a alcançar novos públicos e também abrir caminho para os futuros lançamentos desse artista, o que me deixa muito orgulhoso”.

Sobre os próximos lançamentos, Ricardo ressalta que está produzindo um novo álbum onde resgata composições desde os anos 80 até o período da pandemia. “Tem muitas línguas musicais que os títulos já sugerem: “roquixote”, “blues do buzú”, “forró em Villas”. Valorizo sempre o tripé: levada, harmona e balanço, nunca esquecendo a poética da canção brasileira” conclui o músico.

SERVIÇO

Relançamento da discografia de Ricardo Augusto

13, 20 e 27 de agosto e 03 e 10 de setembro

Disponível nas plataforma digitais por Selo Benzza Music

TRAJETÓRIA – RICARDO AUGUSTO

Baiano do recôncavo, nascido em santo Antônio de Jesus, compositor, guitarrista e violonista, parceiro constante de Luiz Melodia, com quem tocou e fez parte de diversas formações de bandas entre 78 a 85, que incluíram parte da Black Rio, Oberdan, Luiz Carlos, Valtecir, Lobão na bateria em determinado período, o guitarrista Renato Piau e outros Músicos.

Participou de gravações de várias faixas em Cd’s de Melodia, entre elas “Negro Gato”, com arranjo de Serginho Trombone, tendo Lincoln Olivetti nos Teclados, Robertinho Silva na bateria, Robson Jorgena outra guitarra e Arnaldo Brandão no baixo e, “Mistério da Raça” em que fez arranjo base, e teve a mesma formação da Banda, com arranjo de sopros também de Serginho.

Começou a tocar violão aos 11 anos, por influência do avô, que arranhava o pinho no famoso “besta é tu”. Suas influências musicais entretanto, começam bem antes, por Luiz Gonzaga a quem assistiu ao vivo em sua Cidade aos 08 anos, tocando na praça em cima de carroceria aberta de caminhão, passando pelo YêYêYê brasileiro de Roberto Carlos, depois os Beatles e a música pop dos 70, João Gilberto, e Elza Soares de quem ouvia os LPs (“Chega de Saudade” e “Se Acaso Você Chegasse”) em casa, na Vitrola do Pai. Chega então o Tropicalismo que o encanta fazendo com que inicie a aventura de compor canções populares.

Da parceria com Melodia, em cerca de 30 canções, conta com várias interpretadas pelo Cantor do Estácio, em seus discos de Estúdio ou ao Vivo, dentre as mais conhecidas: “Mistério da Raça”, “O Morro não Engana”, “Sub Anormal”, “O sangue não Nega”, Frágil Força”, “Brinde”, “Cheia de Graça”, “Do coração de um Homem bom”, “Felicidade Agora” e outras. Dentre os interpretes que o gravaram estão além de Melodia: Zizi Possi, Elza Maria, Zezé Motta, Sandra de Sá, Geraldo Azevedo, Guida Moira, Nova Banda Black Rio, Terezinha de Jesus.

Produziu (com recursos próprios) e lançou cinco CDs autorais: “TOCAR VOCÊ” de 2000, com participações de Melodia em duas faixas, Lazzo Matumbi e Guida Moira, uma faixa cada,“HEY MENINO” de 2003, com participação de Melodia em duas faixas; “AMORES E MADUGADAS” de 2008, com participação de Melodia em duas faixas e de Serginho Trombone em 01 faixa, “AMOR & MAR” DE 2017 – todas as 15 canções com letras de CAPINAN e, “VIAGEM” de 2020, com 12 canções, sendo uma com Melodia, uma com Capinan e três com Gileno Félix. As Outras sete são de autoria de Ricardo – música e letra.