“São medidas necessárias para conter o vírus e evitar um colapso ainda maior na saúde”, aponta Marcelinho Veiga

Foto: Divulgação/ Agência Alba

As novas medidas restritivas do governo do estado para conter o avanço do contágio da covid-19 foram tidas pelo deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB) como fundamentais para essa fase da pandemia e evitar um colapso nas redes de saúde pública e privada. Nesta sexta-feira (26), após publicação do decreto, o parlamentar progressista defendeu a atuação do chefe do Executivo Rui Costa (PT) e a parceria com os municípios baianos para segurar o aumento da curva de contaminação.

“São medidas necessárias para conter o vírus e evitar um colapso ainda maior na saúde do estado, tanto na rede pública quanto na particular. No interior, tem regiões que os hospitais estão todos lotados. Os leitos de UTIs [Unidades de Terapia Intensiva] estão cheios e existem pessoas dentro das ambulâncias esperando atendimento. Estamos em meio a um caos e precisamos avançar urgentemente o processo de vacinação. Não dá mais para errar. Não podemos brincar de logística, não podemos deixar de cobrar um processo mais eficaz e valorizar o Sistema Único de Saúde [SUS]”, descreve Veiga ao criticar a morosidade do governo federal.

A suspensão de todas as atividades não essenciais durante o final de semana na Bahia foi anunciada pelo governador Rui Costa. A medida começa gradativamente entre 17h e 20h de sexta (26) e vai até as 5h de segunda (1º de março). Essa decisão foi tomada diante da explosão de pacientes com covid à espera de vagas em Unidades de Terapia Intensiva que chega a 83% de ocupação. Nesta quinta-feira (25), foram registradas 100 mortes por covid, o maior número desde o início da pandemia na Bahia.

Ascom do deputado Marcelinho Veiga

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui