Senador dos EUA diz que Rússia é próximo teste de política externa de Biden

© REUTERS / Pool

Joe Biden será desafiado na construção de relações com a Rússia, disse o senador republicano dos EUA Tom Cotton em um artigo para o Wall Street Journal.

Tom Cotton acredita que o presidente Biden precisa com urgência se afastar da agenda climática e prestar atenção a Moscou e suas “ações agressivas” em relação a Kiev, segundo a publicação.

O senador Cotton voltou a falar da informação, anteriormente negada pelo Kremlin, sobre a concentração das Forças Armadas russas perto da fronteira com a Ucrânia e declarou que a crise do combustível europeia corresponde a um desejo de Moscou de bloquear o fluxo de gás para usar sua influência no mercado de energia para fins políticos.

No entanto, a empresa de energia russa Gazprom tinha confirmado o aumento das exportações de combustível para a Europa.

O político americano não ficou satisfeito com a reação de Biden à situação. Entre as medidas que precisam ser tomadas Cotton nomeou o fornecimento de armas à Ucrânia e o isolamento da Rússia do mercado financeiro global.

“Se Biden não quer que outra catástrofe geopolítica se siga ao Afeganistão, ele deve tomar imediatamente várias medidas para conter a Rússia e forçar Putin a assumir uma posição defensiva”, disse Cotton.

Anteriormente, a representante oficial da chancelaria da Rússia, Maria Zakharova, viu os sinais de uma campanha de informação planejada contra a Rússia nos relatos da mídia ocidental sobre supostas tropas russas se movimentando para a fronteira com a Ucrânia.

O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, afirmou que Moscou mantém presença militar em seu território onde considera necessário.

O chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, Mark Milley, também disse que Washington não considera agressivas as ações da Rússia perto da fronteira do sudoeste do país.

Fonte: Sputnik Brasil