Será ‘muito mais difícil’: Rússia adverte Reino Unido contra repetição do incidente no mar Negro

© REUTERS / Sergei Smolentsev

Da próxima vez será muito mais difícil para um navio militar britânico entrar sem aviso prévio nas águas territoriais da Rússia, disse Andrei Kelin, embaixador russo no Reino Unido, em entrevista à BBC comentando a recente intrusão do HMS Defender nas águas russas perto da Crimeia.

“Da próxima vez – não dissemos que podemos disparar contra ele […] como alguns parlamentares fizeram – mas da próxima vez eles [autoridades britânicas] ficarão em uma posição muito mais difícil, porque essa já não será a primeira vez que um navio britânico fará algo semelhante [entrar nas águas territoriais da Rússia]”, advertiu Kelin.

O diplomata observou que o navio entrou nas águas da Rússia sem notificação prévia e não cumpriu as leis do país.

“Não foi uma passagem pacífica, conforme afirma o governo britânico, foi uma demonstração de que estas são águas ucranianas, o que não corresponde à realidade”, ressaltou embaixador.

Destróier HMS Defender, Type 45, da Marinha Real britânica, filmado de um avião militar russo no mar Negro, em 23 de junho de 2021
© REUTERS / MINISTÉRIO DA DEFESA DA RÚSSIA / HANDOUT Destróier HMS Defender, Type 45, da Marinha Real britânica, filmado de um avião militar russo no mar Negro, em 23 de junho de 2021

Em 23 de junho, o Ministério da Defesa da Rússia informou sobre a violação de sua fronteira nacional pelo destróier HMS Defender da Marinha Real do Reino Unido.

O destróier britânico atravessou a fronteira russa e entrou três quilômetros em águas russas perto do cabo de Fiolent.

Um navio-patrulha russo disparou um tiro de advertência, enquanto uma aeronave Su-24M realizou um “bombardeio de advertência” na direção da deslocação do navio.

Fonte: Sputnik Brasil