STARTUP BAIANA – Conheça o Eyby, marketplace que traz um conceito inovador para o delivery moda

Foto: Divulgação

Conectar lojas e clientes, seja através de sites ou aplicativos, não é mais novidade por aqui. No entanto, foi aproveitando essa tendência que o empresário Marcos Barreto criou o Eyby, primeiro marketplace de moda delivery do Brasil feito tanto para quem deseja comprar roupas sem abrir mão de provar as peças e sem precisar sair de casa quanto para quem quer digitalizar o próprio negócio para além das mídias sociais.

“Toda marca de moda busca criar uma conexão pessoal com seus clientes. Nosso propósito é criar e manter relações de forma prática e muito mais rentável, por meio da digitalização. Ao digitalizar o trabalho dos lojistas e também das pessoas que vendem de porta em porta, inserindo essas profissionais no marketplace, oferecemos suporte desde a exposição otimizada dos produtos até a venda propriamente dita, contribuindo diretamente para o crescimento exponencial do negócio”, explica Marcos, CEO da empresa que conta também com mais dois sócios, Carlos Tinin e a Jaevillen Ferreira, todos com formação na área de engenharia.

Como funciona?

O Eyby funciona através de um aplicativo, disponível para Android e em breve para IOS, onde clientes e lojistas se conectam. Quem vende, cria seu catálogo com fotos das peças, cores e tamanhos disponíveis. Quem compra, tem acesso à vitrine para escolher as roupas e o passo a passo até o agendamento com uma vendedora representante da loja, com marcação prévia de horário. Assim como o Tinder, aplicativo de relacionamento, as vendedoras que aparecem disponíveis para visita são as que estão mais próximas do cliente, que podem selecionar as peças e dar match. Caso a compra seja efetivada no momento da visita, o pagamento é realizado via pix ou cartão de crédito, no próprio app e as roupas não adquiridas são devolvidas, sem nenhuma taxa adicional.

Os interessados em cadastrar suas lojas no app terão o custo fixo de R$89,90 (por vendedora) para permanecer na plataforma. Já para quem está começando e ainda não conta com CNPJ, o valor do investimento é de R$29,90 ao mês.

“Esse negócio foi inspirado na história de vida de minha mãe, dona Vera, que é sacoleira há mais de 30 anos. Ela criou e educou 3 filhos por meio desse trabalho. Como o mundo hoje é digital, eu decidi estudar e desenhar um caminho para transformar o negócio dela e de outras mulheres que desenvolvem essa atividade”, finaliza Marcos.