Testemunha confirma encontro de procurador e vereador Paulão para negociar verba publicitária e nomeações em Jaguara

 

Mais uma polêmica envolvendo o vereador Paulão do Caldeirão (PSC) foi registrada na Câmara Municipal na manhã desta quinta-feira (14). Após alegar que o procurador Carlos Alberto Moura Pinho estivesse tentado um ‘suborno’, Paulão voltou a dar fortes declarações na tribuna e informou que houve uma reunião na casa do radialista e engenheiro elétrico Plínio Pereira, para ‘acertar’ a proposta de R$10 mil em comerciais para o Caldeirão e ainda, cerca de 70 nomeações por indicação em Jaguara.

 

“Moura disse que não tinha me oferecido R$10 mil, que não tinha me oferecido o cargo, que eu tinha dado um bocado de currículo a ele. Moura, tentou por 30 dias me assediar, me oferecendo cargos, oferecendo dinheiro para votar no governo de Colbert, eu posso pedir a filmagem do meu telefone para comprovar. Ele [Moura Pinho] recorreu ao filho histórico de Jaguara, Plínio Pereira, e marcou diversas vezes na casa de Plínio um encontro, e eu, comunicava aqui aos vereadores dos ‘aliados’, Fernando, todo mundo. Foi lá, na casa de Plínio Pereira, me oferecer os cargos de Jaguara, que ele exonerou, mais 80 cargos e mais R$ 10 mil. Moura, pelo amor de Cristo, não precisa ficar assim não”, destacou.

 

Procurado pelo Acorda Cidade, o radialista Plínio Pereira confirmou a informação de Paulão sobre o encontro na sua casa. Segundo Plínio, duas reuniões foram realizadas à convite do procurador do município, Moura Pinho.

 

“É verdade, o procurador me ligou na primeira oportunidade, dizendo que eu precisava falar sobre a política em Jaguara, e nem citou inicialmente, o nome do vereador Paulão, disse que queria conversar comigo. Eu disse que tranquilo, que poderia vir, que lhe receberia aqui em casa. Ele veio, nós conversamos. Ele me mostrou um processo que tinha com relação a Paulão, e eles pretendiam dar entrada na justiça e tudo isso. Mas, pediu para que eu intermediasse esse encontro entre ele e Paulão, e isso eu fiz, eu disse a ele que iria fazer, ia tentar com Paulão, se ele aceitava ou não. Paulão aceitou, veio aqui em casa a primeira vez, estiveram os dois juntos, conversaram, Paulão colocou as pretensões dele, para que o procurador passasse para o prefeito. Paulão tinha uma quantidade de cargos, que na época, me parece que eram 80 cargos e mais os cargos de Jaguara. O procurador anotou e levou junto com ele”, disse.

 

Ainda segundo Plínio no segundo encontro, já houve um acordo da verba publicitária para o vereador Paulão, em R$10 mil e que onze, dos 80 cargos negociados, foram nomeados no distrito.

“Na segunda oportunidade de encontro, ele [Moura Pinho] remarcou, Paulão veio aqui também em casa, aí ele [Moura Pinho] veio dizendo que seriam 70 cargos, que era o que estava sendo oferecido ao pessoal de Jaguara. Com relação ao comercial, Paulão disse inclusive na oportunidade a ele, que tinha um valor de comercial que era pago, de R$ 10 mil, esse era mais ou menos o valor. E eles conversaram da possibilidade, inclusive, de ser aprovado o comercial para os programas de Paulão, que na época, ele estava na Rádio Subaé, e também no site Paulão do Caldeirão. Eles conversaram tudo isso aqui em casa, eu participei naturalmente ouvindo sem dar nenhuma opinião porque não era o caso, não tinha como dar opinião e ficou fechado. O prefeito chegou a nomear, me parece que 11 pessoas pra Jaguara. Como Paulão, na Câmara votou contra a emenda, o prefeito fez a exoneração de todos, e cortou todo o contato que havia. Inclusive, o procurador não mais falou comigo com relação a esse assunto.”

 

O radialista concluiu dizendo que não esperava tamanha repercussão sobre o assunto no município, e que já conhecia o procurador Moura Pinho desde a época em que foram candidatos à Câmara Municipal de Feira de Santana, em 1988.

 

“Não esperava essa repercussão, mesmo porque, quando ele me convidou pra conversar com Paulão sobre isso, eu imaginei que a gente iria contornar, como ficou praticamente tudo certo. Toda Feira de Santana me conhece, eu nunca fui de participar dessas coisas, e agora para mim foi estranho, mas que volto a dizer, os encontros foram na minha casa, eu, Paulão e Moura. Conheço Moura desde 1988, é uma coisa que ele pode ratificar, fomos candidatos a vereador na chapa do PSB, como candidato a prefeito Dr. Roque Aras, porque eu tenho uma estima e uma consideração muito grande. Apesar de ter muito tempo que não nos víamos, nem na política, nem nada”.

 

Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade