Trabalhadores de refinaria venezuelana detidos em meio a investigação relacionada com terrorismo

© AP Photo / Fernando Llano

Funcionários da inteligência militar da Venezuela detiveram sete trabalhadores nas instalações pertencentes à empresa estatal de petróleo Petroleos de Venezuela (PDVSA, na sigla em espanhol), em meio a uma investigação de alegadas atividades terroristas.

Os trabalhadores do complexo de refinaria de Paraguana, no estado venezuelano de Falcon, foram detidos na quinta-feira (23) pelos serviços de inteligência, conhecidos como DGCIM.

O órgão foi enviado para a capital do país, Caracas, onde investigou suspeitas sobre um plano de ataque ao local, informou Harold Guerrero, advogado de um dos detentos, referido pela agência Bloomberg.

Até agora, nem a PDVSA nem o Ministério do Petróleo venezuelano responderam aos pedidos de comentários.

Os trabalhadores detidos, a maioria deles mecânicos do complexo, estariam trabalhando em reparos na refinaria Amuay no início do dia, segundo pessoas próximas da situação, que recusaram ser identificadas.

O complexo de refinaria Paraguana da PDVSA, que inclui as refinarias de Amuay e de Cardon, é o principal centro de abastecimento de combustível na Venezuela. Porém, a falta de manutenção e investimento no decorrer dos anos diminuiu sua capacidade de produção para menos de 10%, conduzindo a uma enorme escassez de combustível no então gigante petrolífero da América do Sul.

Fonte: Sputnik Brasil