Trabalhadores do Hospital Regional Costa do Cacau estão sem receber salários há um mês

Foto: Divulgação

Sem receber salários há um mês, profissionais que prestam serviços para o Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), em Ilhéus, no sul da Bahia, aguardam uma solução e cobram urgência no pagamento dos vencimentos em plena pandemia de covid-19. Segundo informações repassadas à diretoria do SindilimpBA, o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Administração Hospitalar (IBDAH), que administra o hospital, alega que a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab-BA) não repassou a verba para o pagamento dos salários dos trabalhadores e trabalhadoras, que estão atuando na linha de frente contra o novo coronavírus.

Para a coordenadora-geral do SindilimpBA, Ana Angélica Rabello, a falta de repasse prejudica diretamente os profissionais que atuam em diferentes setores dentro do HRCC. Ela se pronunciou sobre o assunto nesta segunda-feira (12). “Estão todos os profissionais sem receber seus salários por, pelo menos, um mês. Incluindo médicos, enfermeiros, agentes de limpeza e recepção. É muito grave. Estamos vivendo uma situação de pandemia e os trabalhadores sem receber dinheiro”, aponta Ana Angélica, que atua diariamente pelos direitos dos trabalhadores terceirizados. Ela frisa que a categoria não é representada pelo sindicato, mas que o pedido de ajuda chegou no último final de semana.

Para o vereador de Salvador, Luiz Carlos Suíca (PT), a situação não deve ter o conhecimento do governador Rui Costa (PT). “Duvido que ele saiba disso. Rui tem atuado incansavelmente na luta contra o coronavírus e não deve saber o que está acontecendo. Um trabalhador, que não quis se identificar, diz que o não recebimento de salário tem impactado a vida de quem atua no hospital. “Estamos em uma pandemia que afetou a vida de todos. Enfrentamos aumento dos alimentos, das contas de casa. Para a maioria, o hospital é a única fonte de renda. O Governo do Estado precisa ser pressionado para repassar o mais rápido possível o nosso salário”, revela o trabalhador. O sindicato acompanha todas as tratativas da situação e já assinou o jurídico para ajudar no processo.

Ascom do SindilimpBA