Vacina ButanVac vai custar R$ 10 por dose: ‘7 vezes menos que as outras’, garante Doria

© AFP 2021 / Miguel Schincariol

Na semana passada, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu autorização para que o Instituto Butantan, de São Paulo, realizasse testes da sua vacina contra a COVID-19, ButanVac, em humanos.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (14) que cada ButanVac, vacina contra a COVID-19, custará R$ 10. Já existem 8,2 milhões de doses prontas da nova vacina produzida pelo Instituto Butantan, segundo o governador.

“Já temos 8,2 milhões de doses prontas dessa nova vacina […]. Quando a Anvisa aprovar essa segunda vacina para o programa vacinal do ano que vem, nós já teremos prontas 40 milhões de doses da vacina ButanVac. Custa R$ 10 cada vacina. Quatro, 5, 6, 7 vezes menos que as outras vacinas importadas, inclusive a própria CoronaVac”, disse Doria, citado pelo portal G1.

A CoronaVac, do laboratório Sinovac, custa R$ 58,20 a dose, enquanto a Pfizer/Biontech é vendida por R$ 100 por dose. Já a AstraZeneca/Oxford custa cerca de R$ 20.

O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), anuncia o desenvolvimento pelo Instituto Butantan da vacina contra a COVID-19 batizada de ButanVac.
© FOTO / DIVULGAÇÃO/GOVERNO DE SÃO PAULO O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), anuncia o desenvolvimento pelo Instituto Butantan da vacina contra a COVID-19 batizada de ButanVac.

Vacina 100% brasileira

Em 9 de junho, a Anvisa autorizou os testes em humanos da ButanVac, que vão ocorrer em duas fases, que se dividem nas etapas A, B e C.

Em um primeiro momento, 400 voluntários vão participar do estudo, que deve chegar a 6 mil voluntários, com mais de 18 anos, em todo o território nacional. Com um intervalo de 28 dias, o imunizante é administrado em duas doses.

A ButanVac é primeira vacina contra a COVID-19 produzida no país sem que seja necessária a importação do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA).

No domingo (13), o Brasil confirmou mais 1.118 mortes e 36.998 casos de COVID-19, totalizando 487.476 óbitos e 17.413.996 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

Fonte: Sputnik Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui