CPI da Covid aprova convocação de 9 governadores

Jefferson Rudy/Agência Senado

A CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira (26) a convocação de nove governadores para prestarem depoimento na comissão.

Atendendo a uma das principais demandas da base bolsonarista durante os trabalhos da CPI da Covid, os senadores aprovaram a convocação dos seguintes governadores: Wilson Lima, do Amazonas; Ibaneis Rocha, do Distrito Federal; Waldez Góes, do Amapá; Helder Barbalho, do Pará; Marcos Rocha, de Rondônia; Antonio Denarium, de Roraima; Carlois Moisés, de Santa Catarina; Mauro Carlesse, de Tocantins; e Wellington Dias, do Piauí.

As informações são do portal G1, que também sustenta que o único ex-governador chamado foi Wilson Witzel, do Rio de Janeiro. Ele sofreu impeachment neste ano. Seu sucessor, Cláudio Castro, não foi convocado pela CPI.

A argumento alegado na convocação de políticos que atuam nos executivos estaduais é que a CPI deve investigar supostos casos de corrupção nos estados. Até agora, a CPI tem ouvido depoentes ligados ao governo federal, para apurar ações e omissões da União na pandemia.

Investigação da PF revela esquemas

Vale lembrar que, em 22 de maio, Polícia Federal confirmou que foram feitas 77 operações para investigar a compra de insumos e as licitações de serviços para o enfrentamento da COVID-19. Ao todo, diz a PF, R$ 2,2 bilhões podem estar envolvidos em fraudes.

A primeira investigação policial aconteceu em 23 de abril de 2020. Em média, a Polícia Federal deflagrou seis operações por mês. As investigações envolvem a compra de respiradores, o superfaturamento de preços, a construção de hospitais de campanha, e os insumos comprados com dinheiro público que não foram entregues.

Movimentação no entorno do hospital de campanha montado no Complexo do Maracanã, no Rio de Janeiro, para pessoas contaminadas pelo novo coronavírus
© FOLHAPRESS / JOÃO CARLOS GOMES / MYPHOTO PRESS Movimentação no entorno do hospital de campanha montado no Complexo do Maracanã, no Rio de Janeiro, para pessoas contaminadas pelo novo coronavírus

Fonte: Sputnik Brasil