Trump é alvo de nova investigação no Congresso

Postado em 06/03/2019 23:24 - Atualizado em: 06/03/2019 23:24
Share Button

Foto: picture-alliance/dpa/E. Vucci

Por Opera Mundi

Comitê vai apurar suspeita de obstrução da Justiça, corrupção e abuso de poder; ação pode levar a pedido de impeachment

O Comitê Judiciário da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos revelou nesta segunda-feira (04/03) uma nova investigação contra o governo do presidente Donald Trump, centrada em suspeitas de obstrução da Justiça, corrupção e abuso de poder.

Como primeiro passo do inquérito, a comissão informou ter solicitado documentos a 81 agências do governo, entidades e indivíduos que se acredita terem informações relevantes à investigação, a fim de reunir evidências sobre as suspeitas apuradas.

O processo pode vir a formar a base para um possível pedido de impeachment contra o presidente americano. O Comitê Judiciário, entre outras funções, é responsável por conduzir processos de afastamento de funcionários do governo.

Em comunicado emitido para anunciar a investigação, a comissão informou que vai apurar supostos casos de “obstrução da Justiça, corrupção pública e outros abusos de poder por parte de Trump, de seus aliados e de membros do governo”.

Além da atuação do republicano na Casa Branca, também serão alvo dos investigadores suas atividades comerciais e a campanha à presidência americana em 2016. Organizações, fundações e empresas do presidente tiveram documentos solicitados pelo painel parlamentar.

Entre as pessoas que receberam pedido de documentos estão parentes do presidente, incluindo os filhos Donald Trump Jr. e Eric Trump e o genro Jared Kushner, além de ex-aliados do republicano, como o ex-advogado Michael Cohen, o ex-chefe de campanha Paul Manafort e o ex-conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca Michael Flynn.

A investigação tentará provar, entre outras suspeitas, se Trump obstruiu a Justiça ao tentar interferir em inquéritos criminais ou ao remover supostos inimigos do Departamento de Justiça, como o ex-diretor do FBI James Comey.

Outro foco serão possíveis abusos de poder como presidente, incluindo ofertas de perdão e ataques à imprensa, ao Judiciário e às agências de aplicação da lei.

“Nos últimos anos, o presidente Trump evitou a responsabilidade por seus ataques quase diários às nossas regras e normas básicas legais, éticas e constitucionais”, afirmou o deputado democrata Jerrold Nadler, presidente do comitê, no comunicado.

“Investigar essas ameaças ao Estado de direito é uma obrigação do Congresso e uma função central do Comitê Judiciário da Câmara”, acrescentou o democrata.

Nesta segunda-feira, Trump sugeriu que cooperará com a investigação de Nadler. “Eu coopero o tempo todo com todo mundo”, respondeu ele ao ser questionado sobre o assunto na Casa Branca.

Trump e a equipe que participou de sua campanha presidencial já são alvo de uma investigação por parte do conselheiro especial Robert Mueller, que apura um possível conluio com a Rússia durante o processo eleitoral a fim de favorecer a eleição do republicano.

A investigação já está em suas fases finais e deve ser entregue ao novo procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, que decidirá quais resultados da apuração serão tornados públicos e quais serão apresentados exclusivamente ao Congresso.

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos é a câmara baixa do Congresso americano – equivalente à Câmara dos Deputados no Brasil – e é composta por uma maioria democrata, opositora ao governo republicano de Trump.

Share Button