Aliança em cheque: ACM Neto descarta apoio do DEM a Doria em 2022

© Folhapress / Patricia Stavis

O presidente nacional do DEM, ACM Neto, descartou uma aliança do seu partido com o PSDB para apoiar o governador de São Paulo, João Doria, nas eleições presidenciais de 2022.

Em entrevista ao portal UOL, o ex-prefeito de Salvador disse que nesse momento o diálogo com Doria está “obstruído”. O PSDB e o DEM (assim como a antiga sigla que originou a legenda, o PFL) já se coligaram em várias eleições, inclusive para presidente.

“Não vamos comprometer essa relação de amizade histórica dos dois partidos. Mas o que nesse momento está obstruído é o diálogo com o Doria”, afirmou ACM Neto.

Segundo o político, Doria foi “politicamente inábil” ao promover a transferência do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, do DEM para o PSDB.

ACM Neto argumentou que a movimentação deixou Doria “isolado” e sem apoio do DEM caso queira se candidatar à presidência em 2022.

“Se você me perguntar: vão deixar de conversar com o PSDB? De maneira alguma. Porém, hoje, está descartado o apoio a uma eventual candidatura de Doria à presidência da República”, afirmou o ex-prefeito de Salvador.

Cenário para 2022

As rusgas entre ACM Neto e Doria dificultam a formação de uma grande aliança da centro-direita para disputar as eleições em 2022, o que poderia ser a única forma de romper um cenário liderado pelo atual presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O PSDB ainda não definiu quem será o tucano a disputar a presidência. Além de Doria, estão no páreo o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB-RS).

Pelo lado do DEM, há a especulação de que o partido poderia apoiar Bolsonaro em 2022, até mesmo com ACM Neto compondo uma chapa como vice. O apoio do ex-prefeito de Salvador à eleição de Arthur Lira (PP-AL) à presidência da Câmara, no início deste ano, provocou a saída de Rodrigo Maia da legenda.

“Já disse a todo mundo que eu não serei vice de ninguém, nem de Bolsonaro. Meu foco é de construir, na hora certa, uma candidatura ao governo da Bahia. Eu só tenho no horizonte essa opção”, disse ACM Neto”, disse.

Além de Maia, que acabou sendo expulso do partido após críticas a ACM Neto, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, deve deixar o DEM e migrar para o PSD.

Fonte: Sputnik Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui