Brasileiros desenvolvem carteira digital de vacinação e exames aceita mundialmente

Foto Dilvulgação

Com flexibilização de viagens internacionais, retomada de 100% do público aos eventos e critérios mais rígidos para entrar em alguns países, o Visor fit-to-fly® reúne em um só aplicativo todas as exigências estabelecidas pelas autoridades sanitárias

Um grupo de médicos e engenheiros brasileiros, moradores da Bahia e da França, aprimorou durante a Pandemia da Covid-19 um projeto que já considerava importante para a rotina de quem realiza viagens regulares para inúmeros países e precisam cumprir burocracias sanitárias no momento do desembarque e na imigração: a comprovação de vacinação contra doenças comuns em determinados locais do mundo.

O Visor fit-to-fly® inclui um relatório médico de liberação para voo, comprovando, por exemplo, a vacinação contra a febre amarela, exigida em 26 países e em certas regiões do Brasil, como é o caso de estados do Norte do país.

E foi justamente a espera pela retomada das atividades e a paixão por desafios os estímulos à criatividade dos infectologistas da equipe que buscaram reunir todas as informações na literatura médica mundial e a métrica usada pelas nações para estabelecer os protocolos. Por outro lado, coube aos especialistas em tecnologia a criação da plataforma que ofereceria segurança para diminuir a probabilidade de fraudes nas informações armazenadas e apresentadas às autoridades.

Assim nasceu o Visor fit-to-fly®, um sistema que permite que o viajante, turista ou mesmo um cidadão do país comprove ter tomado a vacina da Covid-19 para acessar um cinema, teatro, um bar e até uma casa de shows e faça isso sem restrições e com garantias. A opção por uma plataforma na nuvem e não um aplicativo evita sobrecarregar os celulares e outros dispositivos móveis do usuário.

O fit-to-fly® inclui o que há de melhor em tecnologia de programação e a base de dados é abrigada fora do Brasil, em comunicação constante com os órgãos sanitários de mais de 20 países que já compartilham informações com a companhia. Após período de testes, o e-documento já é utilizado por inúmeras pessoas em todo o mundo.

Com o Visor fit-to-fly®, além de ser desnecessário transportar no bolso ou na bolsa o comprovante em papel, o cidadão não fica refém, por exemplo, de sistemas públicos que, a exemplo do que ocorreu com o Conect SUS no segundo semestre de 2021 e início de 2022, podem comprometer um embarque ou desembarque em um determinado país por estar fora do ar.

A tendência de mercado é tão marcante que a Latam criou uma versão compacta, com menos recursos que o fit-to-fly®, e batizou de “Pronto para voar”, uma tradução livre do nome ao idioma português. O sistema da companhia aérea é de uso restrito dos passageiros que voam nas rotas gerenciadas por ela.

Estácio Ramos é professor, médico patologista e hematologista com formação na Universidade Federal da Bahia (Ufba) e especializações nos Estados Unidos. Ele é um dos idealizadores do Visor fit-to-fly® e acredita que “uma plataforma democrática, que permite a médicos em todo o país (breve em todo o mundo) se cadastrarem e se habilitarem a emitir o documento (na verdade, um relatório médico em formato compacto, completo e simples), favorece as viagens, o trânsito e os acessos a ambientes sociais protegidos em todo o mundo”.

Além de Estácio, a equipe também conta com Gustavo Kelsch, administrador que atua em Paris, e o engenheiro de software Orison Almeida, que é o líder de tecnologia.

Além da comodidade, a carteira de saúde virtual inclui fotografia, QR-CODE e os números de CPF e Passaporte que contribuem com a segurança, a idoneidade e a credibilidade dos dados disponíveis a respeito do usuário. O sistema adverte o paciente quando os prazos de cada vacinação estiverem próximos de expirar, evitando mais situações desconfortáveis.