EUA atacam Afeganistão com drones na véspera de reunião entre Biden e presidente afegão, diz mídia

© REUTERS / Bob Strong

Número desconhecido de combatentes do Talibã foram mortos durante o ataque. Mídia relata que nove distritos foram tomados pelo grupo terrorista nas últimas 24 horas.

Nesta sexta-feira (25) o Exército dos EUA lançou dois ataques com drones contra posições do Talibã (organização proibida na Rússia e em diversos países), no norte do Afeganistão, disse um oficial norte-americano à Fox News.

De acordo com a mídia, um número desconhecido de combatentes do grupo terrorista foi morto nas províncias de Baghlan e Kunduz, onde ocorreram os disparos dos drones.

Os ataques aconteceram horas antes de o presidente afegão, Ashraf Ghani, se encontrar com o presidente, Joe Biden, na Casa Branca na tarde desta sexta-feira (25).

Durante a noite de quinta-feira (24), três distritos foram tomados pelo Talibã. A mídia afirma que seis outros distritos também foram cercados pelo grupo terrorista nas últimas 24 horas.

O chefe político do Talibã, Sher Mohammad Abbas Stanikzai, segundo à esquerda, e membros da delegação participam de uma reunião com o representante da Rússia para o Afeganistão, Zamir Kabulov, no Ministério das Relações Exteriores da Rússia, em Moscou, em 29 de janeiro de 2021
© SPUTNIK / RIA NOVOSTI O chefe político do Talibã, Sher Mohammad Abbas Stanikzai, segundo à esquerda, e membros da delegação participam de uma reunião com o representante da Rússia para o Afeganistão, Zamir Kabulov, no Ministério das Relações Exteriores da Rússia, em Moscou, em 29 de janeiro de 2021

Desde 1º de maio, militares norte-americanos estão se preparando para retirar a maioria de suas forças restantes do país, bem antes do prazo estipulado, e anunciado pelo presidente Biden, até o dia 11 de setembro.

O governo dos EUA também está lutando para evacuar milhares de intérpretes afegãos e suas famílias “antes de completarmos nossa retirada militar”, disse um alto funcionário do governo à Fox News na quinta-feira (24).

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, disse que o Departamento de Estado está assumindo a liderança na transferência segura de tradutores e afegãos que ajudaram os EUA durante a longa guerra de 20 anos do país no Oriente Médio.

“Será necessário todo um esforço interagencial para fazer isso”, disse o porta-voz, acrescentando que os Departamentos de Defesa e Segurança Interna desempenharão um papel na assistência às evacuações em massa.

Fonte: Sputnik Brasil