Havana critica suspensão de voos pelos EUA: ‘Confirma o desprezo do imperialismo pelos cubanos’

© AP Photo / Ramon Espinosa

O diretor-geral para os Estados Unidos do Ministério de Relações Exteriores de Cuba, Carlos Fernández de Cossío, atacou a decisão de Washington de suspender os voos privados para a ilha.

“É uma medida de pouco impacto prático, mas que rejeitamos, pois brinca com as preocupações dos cubanos de ambos os lados do Estreito da Flórida e suas necessidades de contatos familiares”, afirmou Cossío.

O representante da chancelaria cubana disse que a medida estadunidense visa satisfazer a máquina política eleitoral do sul da Flórida e “confirma o desprezo do imperialismo por cubanos e americanos de origem cubana”.

Na quinta-feira (13), os Estados Unidos proibiram os voos fretados privados para Cuba, com exceções limitadas, como quando se trata de viagens para fins médicos.

As relações entre os EUA e Cuba foram intensificadas em 2014, quando o então presidente Barack Obama deu início a um processo de normalização diplomática com Havana, que teve como marco a reabertura recíproca de embaixadas em 2015 e a visita do presidente dos Estados Unidos a Cuba.

Mas o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu acabar com essa política promovida por Obama e adotou diversas medidas para restringir o intercâmbio diplomático, turístico, comercial e cultural.

 

Sputnik