Home office: o novo normal

Foto: Reprodução

Elaborado por Augusta Wunsch, UNIASSELVI

Cada vez mais a tecnologia muda nossas formas de viver e, principalmente, de trabalhar. Temos aparelhos celulares, computadores, tablets e tantas outras opções que nos auxiliam no serviço, aplicativos como o WhatsApp – que nos permite fazer ligações, mandar mensagens e arquivos para uma pessoa que esteja do outro lado do mundo, ou mesmo no mesmo ambiente, desde que tenhamos uma conexão com a Internet.

Com a pandemia, o home office acabou se tornando mais presente na nossa vida. Algo que para muitos estava bem distante, hoje é seu dia a dia. Acabamos tendo uma visão mais próxima do que pode ser o trabalho remoto no Brasil, as empresas desenvolveram um conhecimento mais amplo do assunto e passaram a implantá-lo, mesmo as que eram relutantes quanto a essa forma de trabalho.

            Na verdade, de certa forma, muitas empresas já deveriam trabalhar com o “remoto”. Como Jason Fried e David Hansson H. (2013) citam em seu livro, Remote: Office not required, são muitos os exemplos: a menos que sua empresa tenha contadores, advogados ou até mesmo um publicitário trabalhando na própria empresa, todo esse trabalho é feito fora da empresa, fora do controle do proprietário da companhia e, mesmo assim, não se tem dúvidas de que o trabalho será bem-feito e entregue. Sabendo disso, fica a pergunta: por qual razão as empresas acabam sendo relutantes quanto a esse processo?

É preciso muito foco quando se trabalha fora do escritório, um nível de comprometimento muito maior do que trabalhando no mesmo ambiente que seu chefe. Pois teremos muito mais responsabilidade em entregar o serviço, sem imposição de um regime e uma estrutura fixa. A responsabilidade é muito maior do que pode parecer. Afinal, muitas vezes somos procrastinadores de tempos em tempos (FRIED; HANSSON, 2013).

Tirando o fator pandemia, é possível verificar vantagens quanto ao trabalho em casa: não “perdemos tempo” entre o trajeto de casa para o local de trabalho, por tanto há uma redução de estresse neste sentido, também pode haver uma redução de custos, os horários podem ser mais flexíveis e sua produtividade tende a aumentar. Além disso, o trabalho remoto também pode reter talentos, por tornar os colaboradores mais satisfeitos. Como desvantagens: seu áudio ou texto pode ser mal interpretado, problemas com a conexão, para algumas pessoas a distância dos seus colegas de trabalho pode fazer com que se sinta isolado, caso você tenha crianças em casa, elas podem acabar exigindo sua atenção. A falta de disciplina também pode ser prejudicial nesta modalidade de trabalho. Todavia, existem formas de remediar essas desvantagens, ainda mais quando você consegue reconhecê-las e traçar soluções!

Referência

FRIED, J.; HANSSON H., D. Remote: Office not Required. United States: Crown Business, 2013.