‘Inimigos da pátria’ achavam que Venezuela não teria força para enfrentar pandemia, diz Maduro

© REUTERS / Manaure Quintero

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta sexta-feira (18) que a pandemia do coronavírus mostrou a força do sistema de saúde público do país.

De acordo com o chefe de Estado, os “inimigos da pátria” achavam que a Venezuela não teria “capacidade” para enfrentar a COVID-19.

“Os inimigos da pátria calculavam que a Venezuela não teria capacidade de reação para enfrentar o coronavírus. No entanto, apesar das dificuldades, demonstramos a força e a robustez de um Sistema Público Nacional de saúde, que melhoramos e fortalecemos cada vez mais”, afirmou Maduro por meio do Twitter.

Por várias vezes, o presidente afirmou que a Venezuela contava com todos os medicamentos e hospitais necessários para atender gratuitamente a população infectada pelo vírus.

​Os inimigos da pátria calculavam que a Venezuela não teria capacidade de reação para enfrentar o coronavírus. No entanto, apesar das dificuldades, demonstramos a força e a robustez de um Sistema Público Nacional de saúde, que melhoramos e fortalecemos cada vez mais

Sanções dificultaram enfrentamento da pandemia

Ao longo da pandemia, Maduro disse também que o país tem um sistema de testes eficaz para a detecção da COVID-19, e que diariamente milhares de exames são realizados na Venezuela.

Segundo o governo, o país conseguiu comprar os medicamentos e testes necessários para enfrentar a crise, apesar das sanções impostas pelos Estados Unidos mesmo durante a pandemia. O país também recebeu ajuda humanitária da China.

Em julho, o ministro das Relações Exteriores venezuelano, Jorge Arreaza, disse que o país tinha enfrentado a pandemia em “condições extremamente difíceis, em meio a um constante ataque econômico, político, midiático e militar.

A Venezuela registra até o momento 64.284 casos da COVID-19, com 520 mortos.

 

Fonte: Sputnik Brasil