Seplan e SDE apresentam demandas do setor agroindustrial baiano ao Ministério da Agricultura

Foto: Guilherme Martimon/ Reprodução

O vice-governador João Leão, secretário do Planejamento, esteve reunido em Brasília nesta terça-feira (1º) com a ministra Tereza Cristina, da Agricultura Pecuária e Abastecimento, quando tratou, dentre outros questões de importância para a agricultura e agroindústria baiana, da proposta do Governo do Estado para o Baixio de Irecê e das demandas do Polo Agroindustrial e Bioenergético do Médio São Francisco. O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Nelson Leal, compôs a comitiva.

Segundo o vice-governador, o encontro tratou de temas importantes para o desenvolvimento do estado. “O setor agrícola é um dos grandes propulsores da economia baiana e por isso faremos os esforços necessários ao seu crescimento econômico, mas sobretudo para o desenvolvimento social no interior do estado”, avalia.

“Nosso projeto para o desenvolvimento econômico da Bahia pretende aproveitar o potencial agricultável do estado para impulsionar a agroindustrialização do interior. Já iniciamos esse processo com a implantação do Polo Agroindustrial e Bioenergético na região do Médio São Francisco com a construção de uma usina para que vai moer cana para produção de açúcar e álcool e estamos finalizando a implantação da Fazenda Escola Modelo na cidade da Barra que vai profissionalizar a mão de obra local para atuar nessas usinas”, destacou Nelson Leal da SDE.

Polo Agroindustrial

Com R$ 9,65 bilhões de investimentos privados previstos, o Polo Agroindustrial e Bioenergético do Médio São Francisco, em implantação na Bahia, deve gerar em torno de 60 mil empregos diretos e indiretos na região e incrementar em até 12,4 % a receita do Estado da Bahia, nos próximos 10 anos.

Baixio de Irecê

O perímetro irrigado do Baixio de Irecê, localizado na região do Médio São Francisco nos municípios baianos de Xique-xique e Itaguaçu, abrange 105 mil hectares, dos quais 48 mil de área irrigada. A região tem grande disponibilidade hídrica para irrigação, solos mecanizáveis e com forte tradição agrícola. A região, que conta com duas universidades, dispõe de estradas para escoamento da produção e tem potencial para exportação de frutas e derivados.

Fonte: Ascom/Seplan

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui