Tribunal de Justiça do Rio autoriza quebra de sigilos bancário e fiscal de Carlos Bolsonaro

Carlos Bolsonaro (Foto: Divulgação/Câmara Municipal do Rio de Janeiro)

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Carlos é suspeito de praticar rachadinha e nomear “funcionários fantasmas”. Ele é investigado pelo Ministério Público do Rio desde julho de 2019.

Segundo reportagem de 2019, Carlos empregou sete parentes de Ana Cristina Valle, segunda esposa de Jair Bolsonaro e sua ex-madrasta. Duas pessoas admitiram que nunca trabalharam para o vereador, embora estivessem nomeados.

Marta Valle, por exemplo, que é cunhada de Ana Cristina, sempre morou em Juiz de Fora, Minas Gerais, mas passou mais de sete anos lotada no gabinete de Carlos, no Rio. O salário de Marta era de R$ 9,6 mil.

Fonte: Brasil 247