China se prepara para superar os EUA no refino de petróleo

Foto: Reprodução/ HISPANTV

A capacidade de refino da China quase triplicou desde os anos 2000, e estima-se que a capacidade de processamento de petróleo do país aumente de 17,5 milhões por dia hoje para 20 milhões de barris por dia até 2025, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica e Tecnológica da Corporação Nacional de Petróleo da China.

“A China colocará outro milhão de barris por dia ou mais na mesa nos próximos anos “, disse Steve Sawyer, diretor de refino da consultoria industrial Facts Global Energy, em uma entrevista. “A China provavelmente ultrapassará os Estados Unidos nos próximos dois anos “, acrescentou.

De acordo com a agência Bloomberg , a China lançou uma nova unidade da gigante Rongsheng Petroquímica na cidade de Zhejiang, (nordeste). É apenas um de pelo menos quatro projetos do gigante asiático com capacidade total de processamento de petróleo bruto de 1,2 milhão de barris por dia.

No entanto, no início de novembro, a Royal Dutch Shell Plc, a terceira maior empresa de petróleo do mundo, fechou sua refinaria Convent na Louisiana, querendo reduzir radicalmente a capacidade de refino, mas não conseguiu encontrar um comprador.

Mas enquanto a capacidade aumentará na China e no resto da Ásia, as refinarias nos Estados Unidos e na Europa estão lutando com uma crise econômica mais profunda e pode levar anos para se recuperar totalmente dos danos infligidos pelo coronavírus.

Mais da metade dos fechamentos de refinaria ocorreram nos Estados Unidos, de acordo com a Agência Internacional de Energia (IEA), com sede em Paris. Algumas refinarias estavam prestes a fechar antes mesmo da pandemia estourar, segundo a agência.

De acordo com a IEA, até a China pode estar se adiantando. Os recursos adicionais estão ultrapassando o crescimento da demanda. Um excesso de oferta de derivados de petróleo no país pode chegar a 1,4 milhão de barris por dia em 2025, segundo a China National Petroleum Corporation (CNPC). O crescimento da demanda da China pode atingir o pico em 2025 e depois diminuir à medida que o país inicia sua longa transição para a neutralidade de carbono.

Fonte: HISPANTV

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui