Com 5 vacinas na bagagem, Cuba pode assumir vanguarda na América Latina contra COVID-19

© AP Photo / Yamil Lage / Pool

Com desenvolvimento de vacinas contra SARS-CoV-2 a todo vapor, Cuba está com cinco imunizantes em diferentes fases.

Cientistas cubanos estão trabalhando em cinco vacinas, três das quais são desenvolvidas pelo Instituto Finlay de Vacinas (IFV) e chamadas de Soberana 01, Soberana 02 e Soberana Plus, enquanto duas outras – Abdala e Mambisa – pelo Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB, na sigla em inglês).

Todas as vacinas cubanas utilizam antígeno da proteína S do coronavírus. Mas os antígenos têm origem diferente. Assim, as vacinas Soberana usam antígeno recebido das células de mamíferos, enquanto a Mambisa e a Abdala são baseadas em células de levedura.

A vacina Mambisa nada mais é que um spray nasal que provoca imunidade sistemática e mucosa. Esta vacina também contém a proteína do vírus da hepatite B. A vantagem das vacinas cubanas é que podem ser armazenadas a temperaturas de dois a oito graus Celsius.

Soberana 02

Uma das vacinas mais avançadas entre as cinco desenvolvidas em Cuba e a primeira candidata da América Latina para ser medicamento contra a COVID-19 é a Soberana 02.

Em 3 de março deste ano, o Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamento e Produtos Médicos aprovou a aplicação do protocolo da terceira fase de testes clínicos da vacina, tornando, assim, possível a vacinação de 44.010 dos testados de idade entre 19 e 80 anos nos testes clínicos controlados e fornecendo dados sobre a eficácia clínica do imunizante. Além destas pessoas que participaram dos testes, desde 22 de março, os ensaios estão incluindo 150 mil voluntários, dentre eles funcionários de saúde.

A vacinação é realizada em um esquema de duas doses com um intervalo de 28 dias, mas se estuda também a possibilidade de receber uma terceira dose para reforçar a imunidade.

Levando em consideração os prazos estabelecidos para os ensaios, espera-se que no segundo semestre de 2021 comece o processo de vacinação em massa da população da ilha.

Cientistas trabalha no desenvolvimento da Abdala, vacina contra a COVID-19 desenvolvida em Cuba
© AP PHOTO / RAMON ESPINOSA Cientistas trabalha no desenvolvimento da Abdala, vacina contra a COVID-19 desenvolvida em Cuba

O IFV é uma organização líder no âmbito de pesquisa, desenvolvimento e fabricação de vacinas na ilha com uma experiência professional de mais de 30 anos.

Abdala

O projeto da vacina Abdala desenvolvido pelo CIGB também iniciou em 22 de março a terceira fase de testes clínicos. Este medicamento será aplicado em 48 mil voluntários de 19 a 80 anos de idade em um esquema da vacinação com três doses, sendo uma a cada 14 dias.

Tanto a Soberana 02 como a Abdala estão na lista de 23 vacinas candidatas contra o SARS-CoV-2 na terceira fase de testes clínicos, conhecidas no mundo. Ambas as vacinas cubanas serão aplicadas em um futuro próximo na Venezuela, informou o centro.

A farmacêutica BioCubaFarma confirmou o funcionamento de seis linhas de produção para provisão de produção de cinco vacinas cubanas contra a COVID-19 e o começo da imunização em massa na ilha em agosto deste ano.

“Ter esses sistemas de produção nos garante as doses necessárias para vacinar nossa população. O mais tardar em agosto, terão sido fabricadas doses necessárias para imunizar toda a população cubana”, confirmou a empresa no Twitter em 18 de março.

Fonte: Sputnik Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui