Marcelinho critica falta de plano de vacinação do governo Bolsonaro; “O negacionismo está matando entes queridos”

Foto: Divulgação

A falta de um plano para vacinação para a covid-19 foi duramente criticada pelo deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB) nesta terça-feira (15). Essa informação tomou grandes proporções e foi destaque no jornal norte-americano The New York Times da última segunda-feira (14). Para o parlamentar baiano, a ausência de estratégias de imunização e a ação de movimentos negacionistas dificultam o sucesso do país contra o coronavírus. “Sem plano de vacinação associado ao negacionismo, movimento antivacinas e o próprio presidente Bolsonaro resistente a vacina, só reduz a chance do país diminuir o número de casos e contaminação diária e, consequentemente, no números de mortes, que atualmente bate a marca de 181 mil”, frisa Veiga.

A publicação do jornal americano evidencia o Brasil como um dos países com programa de imunização de renome mundial e uma robusta capacidade de fabricação de produtos farmacêuticos e que já deveria estar em uma vantagem significativa em relação a outras nações. “Ser destaque negativo do New York Time só prova como o atual governo federal tem tratado a covid-19. Somos potências quando se refere a saúde pública, que a todo momento é sabotada. Agora temos um avanço significativo em vacina e Bolsonaro está preocupado com termo de responsabilidade de uma vacina que ainda nem foi adquirida”, reforça Marcelinho.

Os especialistas também se preocupam com a demora da vacinação e da falta de um plano que deixe claro o programa para minimizar e erradicar as consequências devastadoras ocasionadas pelo novo coronavírus. A epidemiologista brasileira-americana do Sabin Vaccine Institute, Denise Garrett, avalia que o Brasil está “brincando com vidas” e a “beira de um crime”. Ainda apontam que, com o poder da imunização, o país lidará melhor com o fim da pandemia diferentemente como foi no início.

Fonte: Ascom

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui