Minsk: polícia usa gás lacrimogênio e prende manifestantes a favor da oposição

EUROPA

Nesta segunda-feira (10), cerca de 100 apoiadores da oposição se reuniram no hotel Yubileinaya, não muito longe do Obelisco de Minsk, capital bielorrussa, onde a polícia realizou detenções, informou um correspondente da Sputnik no local.

Anteriormente, foi relatado que durante a noite, a polícia local bloqueou trânsito em avenidas da região, onde uma nova manifestação da oposição era esperada. As patrulhas da polícia de choque bielorrussa dispersou pessoas que circulavam na área.

O grupo de cerca de 100 apoiadores da oposição não conseguiu se aproximar do Obelisco por causa dos cordões policiais e parou perto do Hotel Yubileinaya, a cerca de 400 metros do monumento. Os ônibus da polícia de choque foram ao local acompanhados de caminhões para detenções. As forças de segurança locais então detiveram manifestantes.

Segundo o correspondente da Sputnik, várias dezenas ou centenas de apoiadores da oposição estão observando a situação a uma distância segura. No entanto, foi relatado uso de gás lacrimogênio pela polícia no local enquanto as detenções prosseguiam.

Crise na Bielorrúsia

Após a divulgação do resultado da eleição presidencial no país, protestos de massa começaram no centro de Minsk na noite do domingo (9), com pessoas tomando as ruas para expressar sua insatisfação com os resultados. Opositores do atual presidente da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, afirmam que a eleição foi fraudada.

Presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko vota em zona eleitoral na capital do país, Minsk, 9 de agosto de 2020
© SPUTNIK / VIKTOR TOLOCHKO
Presidente bielorrusso Aleksandr Lukashenko vota em zona eleitoral na capital do país, Minsk, 9 de agosto de 2020

Os resultados divulgados pelo comitê eleitoral do país, apontaram que Lukashenko recebeu 80,23% dos votos, enquanto sua principal adversária, a candidata da oposição Svetlana Tikhanovskaya, teve 9,9%.

Os protestos se transformaram em confrontos com a tropa de choque e, de acordo com o Ministério do Interior do país, cerca de 3 mil pessoas já foram detidas. Pelo menos 50 manifestantes e 39 policiais ficaram feridos durante os confrontos, acrescentou o Ministério.

Opositora e candidata à presidência da Bielorrússia Svetlana Tikhanovskaya em coletiva de imprensa em Minsk
© SPUTNIK / VIKTOR TOLOCHKO
Opositora e candidata à presidência da Bielorrússia Svetlana Tikhanovskaya em coletiva de imprensa em Minsk

Mais cedo nesta segunda-feira (10), o gabinete da candidata da oposição, Svetlana Tikhanovskaya, exigiu uma transição “pacífica” de poder de Alexandr Lukashenko em meio aos protestos que seguem em andamento no país.

Sputnik

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui