Senado argentino sanciona imposto sobre grandes fortunas para cobrir gastos com pandemia da COVID-19

© AP Photo / Natacha Pisarenko

O Senado da Argentina sancionou nesta sexta-feira (4) uma lei que determina o pagamento de uma contribuição extraordinária de solidariedade para nove mil residentes no país que declararam patrimônio de mais de 200 milhões de pesos (R$ 12 milhões).

O anúncio foi colocado pelo próprio Senado nas redes sociais.

O senador Carlos Caserío destacou durante o debate que a norma “considera todo o patrimônio”.

“A alíquota que será aplicada é para patrimônios no país, de 1% a 3%, e para patrimônios no exterior, de 2% a 5%”, explicou.

O projeto estabelece o pagamento de 2% dos bens das pessoas que declararam mais de 200 milhões de pesos (R$ 12 milhões).

O percentual de contribuição aumenta conforme o tamanho do patrimônio. Por exemplo, cidadãos argentinos que possuem entre 400 e 600 milhões de pesos (R$ 25,2 milhões e R$ 37,8 milhões) vão ter de contribuir com 2,5%.

O montante arrecadado pelo governo argentino será dividido para cobrir os gastos gerados pela pandemia da COVID-19 e outros projetos.

 

Fonte: Sputnik Brasil