Alimentação adequada, atividade física e peso saudável são aliados na luta contra o câncer

Divulgação

 

Cerca de 30% dos casos de câncer podem ser prevenidos com alimentação adequada, atividade física e peso saudável. Apesar da obesidade sempre ter sido associada às doenças do coração, a gordura corporal também influencia na formação de vários tipos de câncer, como o de intestino grosso, colón, reto, mama, endometrio, rim e esôfago. “Manter o peso adequado, evitar o sedentarismo e se alimentar de forma saudável, evitando o consumo excessivo de carne vermelha, alimentos ultraprocessados e salgados, gorduras e bebidas alcoólicas é a melhor maneira de prevenir o desenvolvimento de tumores”, esclarece a oncologista Clarissa Mathias, do NOB – Oncoclínicas.

 

Segundo recomendação da American Cancer Society, é importante comer pelo menos cinco porções de frutas e verduras diariamente e ingerir a quantidade certa de alimentos para manter um peso saudável. “É fundamental variar nas cores e nos ingredientes durante as refeições, ingerir um pouco de cada grupo alimentar, consumir cinco porções diárias de frutas, legumes e verduras e evitar o consumo de carnes processadas e salgadas”, explica a nutricionista Tatiane Sousa, da equipe do NOB – Oncoclínicas.

 

O tomate e seus derivados (extrato, polpa de tomate) são poderosas fontes de licopeno, substância carotenoide que protege contra a oxidação celular e ajuda na prevenção do câncer de próstata. A substância combate os radicais livres em excesso que podem desencadear mutações celulares e, consequentemente, o câncer. A cenoura, rica em betacaroteno, é outro alimento anticâncer. Diversos alimentos possuem algum tipo de carotenoide em sua composição: melancia, beterraba, abobrinha, mamão, goiaba vermelha e pitanga, dentre outros. Muitos estudos também apontam que o resveratrol, composto fitoquímico presente na casca da uva roxa, no vinho e em algumas sementes oleaginosas, também é um importante agente contra a formação do câncer de mama. O alho, a linhaça, o o brócolis e o feijão preto também apresentam propriedades que favorecem na prevenção.

 

“Alimentos de origem vegetal como hortaliças, frutas, cereais e grãos integrais devem fazer parte da alimentação diária”, recomenda Tatiane Sousa. Por outro lado, o consumo de sal, gordura, alimentos com conservantes e industrializados, carnes vermelhas, frituras e carnes processadas deve ser limitado.

 

De acordo com o INCA, o ideal é optar por mais alimentos in natura ou minimamente processados, retirar o saleiro da mesa e temperar a comida com ervas naturais, como manjericão, orégano e coentro, para diminuir o sal na alimentação. O sal é essencial na dieta, mas deve ser consumido em pequenas quantidades, em excesso pode causar câncer gástrico. A Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta que o consumo de sal seja inferior a cinco gramas por dia.

 

Controlar o peso, ter uma alimentação saudável, praticar atividade física regularmente, usar proteção solar, fazer sexo seguro, não fumar nem usar drogas, consumir bebidas alcoólicas com moderação, utilizar a vacina anti-HPV e a vacina para Hepatite são algumas das recomendações dos especialistas para prevenção primária da doença.

 

Fonte: Assessoria