Manifestantes fazem pressão um dia antes do julgamento de policial que assassinou George Floyd: “se não há justiça, não há paz”

(Foto: Reuters)

Milhares de manifestantes se reuniram em Minneapolis, capital de Minnesota, no norte dos Estados Unidos, para relembrar o assassinato de George Floyd, homem negro de 46 anos assassinado brutalmente em 25 de maio do ano passado por Derek Chauvin, ex-policial branco, um dia antes do julgamento do caso.

Os participantes repetiram a frase “se não há justiça, não há paz” e exibiram um cartaz com as últimas palavras de Floyd (“não consigo respirar”).

Floyd foi asfixiado pelo policial com o joelho sendo pressionado em seu pescoço durante nove minutos. O caso ganhou notoriedade internacional e inspirou protestos ao redor do mundo do movimento ‘Black Lives Matter’.

O julgamento de Chauvin é um “caso criminal histórico, um dos mais importantes da história dos Estados Unidos”, afirma o procurador-geral de Minnesota, Neal Katyal, que ajudará a acusação.

Ashley Heiberger, ex-policial que agora trabalha em um consultora sobre práticas policiais, afirmou que “o fato de um policial ter sido acusado criminalmente de uso abusivo da força é, em si mesmo, uma exceção” e que “é raro” que policiais sejam condenados.

O julgamento terá transmissão ao vivo e será realizado sob forte esquema de segurança.

As informações e falas foram reportadas no Globo.

 

Fonte: Brasil 247