Rui Costa afirma que aeroporto de Feira não “decola” por estar próximo à Salvador

 

O governador da Bahia, Rui Costa, disse na manhã desta terça (24) que o aeroporto de Feira de Santana não vai “decolar” pela proximidade com Salvador. Segundo Rui, por este motivo, há dificuldades de consolidação de novos voos.

 

“O presidente de uma companhia aérea me disse que mesmo em São Paulo, que é o maior mercado consumidor do Brasil, não é fácil viabilizar aeroporto regional quando se tem outro muito próximo, um grande aeroporto com voos consolidados e quantidade maior de voos. Quem está a mais ou menos 150 quilômetros de outro aeroporto é difícil consolidar um novo destino. Porque as pessoas a essa distância comparam os dias e horários e a tendência é que as pessoas continuem buscando sua comodidade e por isso não é fácil arrancar com um voo de passageiros quando se está próximo de outro aeroporto”, justificou em entrevista ao Acorda Cidade.

 

De acordo com ele, além da dificuldade em manter voos diários do entreposto, a pandemia aprofundou a crise das companhias aéreas em todo o Brasil.

 

“Houve um agravante nesse período, que foi a pandemia, que desmoronou todo o sistema de aviação no Brasil e em Salvador durante esse período tivemos o cancelamento de dezenas de voos para o Brasil inteiro. No mundo inteiro se cortou voos, vários países do mundo injetaram recursos financeiros para salvar suas companhias, que entraram numa crise profunda, já que o número de viagens caiu no mundo inteiro”, afirmou Rui Costa.

 

Ele destacou que o governo do estado deve colocar em breve na agenda a questão dos aeroportos regionais, incluindo o de Feira de Santana.

 

“Conseguimos agora que a Azul anunciasse dois voos, um para o baixo sul e outro para Guanambi, e estamos com grupos que têm interesse em investir em Feira, principalmente na aviação de cargas, de transporte”, completou.

 

Com informações do Acorda Cidade